terça-feira, 30 de agosto de 2011

"Rio" maravilha, como eu gosto de você!

Em minha recente viagem ao Rio Janeiro, descobri que ele é muito mais do que praias lindas, futebol e samba! Ele esconde um passado histórico e cultural, o qual tenho o prazer de compartilhar hoje!

Começando pela Igreja Nossa Senhora da Candelária...
Segundo conta a história  sobre a origem da igreja, nos princípios do séc XVII, uma tempestade quase teria feito naufragar um navio chamado Candelária, no qual viajavam os espanhóis Antônio Martins Palma e Leonor Gonçalves. O casal teria feito a promessa de edificar uma capela dedicada a Nossa Senhora da Candelária se escapassem com vida. A nau, finalmente, teria aportado no Rio de Janeiro e o casal teria mandado construir uma pequena capela no local da atual igreja da Candelária em 1609. 









A partir de 1878, começou a decoração do interior da igreja, seguindo um modelo neorrenascentista italiano com revestimento de mármores italianos policromados nas paredes e colunas, afastando-se assim dos modelos vigentes na época colonial. 

As magníficas pinturas murais no interior da Igreja foram encarregadas ao brasileiro João Zeferino da Costa, pintor e professor da Academia Imperial de Belas Artes, que contou com a ajuda de bons pintores como Henrique Bernadelli, Oscar Pereira da Silva e o italiano Giambattista Castagneto, entre outros. As pinturas se distribuem pelo teto das naves, cúpula e capela-mor e foram realizadas entre 1880 e o final do século XIX.Outros detalhes importantes do interior são o altar-mor do brasileiro Archimedes Memoria, os vitrais alemães e os enormes púlpitos em estilo art nouveau do escultor português Rodolfo Pinto do Couto (1931). 





Em 1901, foram instaladas as belas portas de bronze na entrada da igreja, obra do português Teixeira Lopes.




O Palácio Tiradente foi o antigo prédio do Congresso Nacional brasileiro, entre 1926 e 1960, e é a atual sede da Assembléia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro. O primeiro edifício era um parlamento imperial, construído no ano de 1640, que possuía no seu piso inferior uma cadeia chamada de "Cadeia Velha", onde eram abrigados os presos do período colonial e onde também esteve preso, por três anos, o inconfidente Joaquim José da Silva Xavier (o Tiradentes), enquanto aguardava a execução na forca.

Em estilo eclético, a fachada é revestida por concreto armado. Destaca-se a cúpula, adornada com esculturas alegóricas representando a Independência e a República. 



Por dentro, a cúpula, ornamentada com pinturas de autoria do artista brasileiro Rodolfo Chambelland, ostenta um vitral pintado como o céu da noite de 15 de novembro de 1889. 

O painel decorativo do plenário do Palácio Tiradentes foi executado por Eliseu Visconti em 1926 e representa a assinatura da primeira Constituição Republicana de 1891. No grande painel, restaurado em 2001, figuram em tamanho natural os retratos dos sessenta e três constituintes.

A Confeitaria Colombo foi fundada em 1894 pelos imigrantes portugueses Joaquim Borges de Meireles e Manuel José Lebrão.


Entre 1912 e 1918 os salões do interior da confeitaria foram reformados, com um toque Art Nouveau, com enormes espelhos de cristal trazidos da Antuérpia, emoldurados por elegantes frisos talhados em madeira de jacaranda.





O piso de ladrilho hidráulico faz parte do charme da Confeitaria!

Os móveis de madeira do interior foram esculpidos na mesma época pelo artesão Antônio Borsoi. 

Entre os clientes famosos da confeitaria estão Chiquinha Gonzaga, Olavo Bilac, Rui Barbosa, Villa-Lobos, Lima Barreto, José do Patrocínio, Getúlio Vargas, e Juscelino Kubitschek, entre muitos outros.

Minha dica: Eu amo cappuccino e já experimentei muitos, em diversos locais, e o melhor foi nesse lugar! Simplesmente delicioso!!!


Espero que tenham curtido as fotos que eu e meu marido tiramos com a intenção de dividir com vocês!

Esse tour não pode faltar na sua bagagem!


Bjs

Mônica 



Nenhum comentário:

Postar um comentário